Liturgia do 1º Domingo do Advento –Ano A

(Last Updated On: 23/11/2022)

27 de novembro de 2022
Is 2, 1-5; Rom 13, 11-14; Mt 24, 37-46

 

Caminhemos à luz do Senhor
1. “Vinde, ó casa de Jacob! Caminhemos à luz do Senhor!”, diz o profeta Isaías neste 1º Domingo de Advento. E São Paulo prossegue na 2ª leitura: “A noite vai adiantada e o dia está próximo. Abandonemos as obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz. Andemos dignamente, como em pleno dia, evitando comezainas e excessos de bebida, as devassidões e libertinagens, as discórdias e os ciúmes; não vos preocupeis com a natureza carnal, para satisfazer os seus apetites, mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo”.
Os quatro domingos de Advento são um caminho que a Igreja nos propõe para nos revestirmos de Cristo que vem em cada dia e em cada hora. Jesus é Aquele que veio, vem e virá. Veio na sua Encarnação, virá na sua glória e continua a vir nos dons do seu Espírito, no anúncio da sua Palavra, na liturgia e nos sacramentos que celebram e distribuem a sua misericórdia. Viver em Advento é reconhecer Jesus em todas estas presenças e vigiar. É próprio do amor vigiar.

 

2. O Evangelho proposto para este domingo fala-nos dos tempos de Noé, quando as pessoas comiam, bebiam, casavam-se e davam-se em casamento e não se aperceberam de nada, não deram por nada, quando veio o dilúvio que a todos engoliu.
Isto é para nos dizer que é possível, infelizmente, viver assim, distraídos, vivendo no ramerrão de todos os dias, na superficialidade que alguém disse que é o grande defeito da nossa época. É possível viver a vida sem repararmos no que passa à nossa volta, sem reparar nos rostos das pessoas que vivem connosco na nossa própria casa, na nossa rua, no nosso bairro. É possível viver sem abrirmos a porta a quem precisa, esquecendo-nos dos rostos dos povos que vivem em guerra, dos rostos de mulheres maltratadas, de crianças abusadas, de idosos sós e abandonados, de trabalhadores precários injustiçados…
Temos que deixar este modo de viver superficial, e olhar para o mundo com os olhos de Jesus, estendendo as mãos a quem precisa de atenção e de cuidados.
Jesus pede-nos no Evangelho que estejamos atentos a nós mesmos e aos outros, que vivamos bem o momento presente, não desperdiçando os dons que nos foram concedidos. É isso o que se chama VIGIAI.

 

3. “Vigiai!” quer então dizer: tende cuidado com a vossa vida. Que o Senhor, quando vier, não vos encontre adormentados, em relação à nossa vida e à vida dos outros. Viver acordados é uma atitude de fé naquele que já veio e anda pelos nossos caminhos. Vigiar é viver a sua Palavra, acendendo a luz das obras de misericórdia, caminhando na verdade e na justiça. Por muito que nos assustem os problemas, as trevas que envolvem o mundo, (e são tantas!…), a palavra de Deus garante-nos que a injustiça, a exploração, a morte não são o final inevitável: a última palavra que a história vai ouvir é a Palavra libertadora e salvadora de Deus. Vigiar é viver atentos a esta Palavra e à realidade que nos envolve. É escutar os gemidos ou os gritos de quem sofre. Sem esta sensibilidade não é possível caminhar atrás de Jesus. Não tenhamos o coração duro e imunizado aos apelos do Evangelho. Não vivamos adormentados, sem um centro interior, sem uma meta, sem um projeto. Não nos deixemos dominar pelas preocupações da vida que podem roubar tempo e energias para aquilo que vale a pena.

 

4. Precisamos de esperança – “A noite vai adiantada e o dia está próximo”, diz-nos S. Paulo, na 2ª leitura. É uma Palavra de esperança. Todo o Advento está carregado de esperança. Cada vez mais nos apercebemos de que o mundo precisa do Emanuel, do Deus connosco, que nos ajude a trilhar caminhos diferentes. Que nos faça passar da noite em que tantas vezes vivemos para caminharmos em pleno dia, iluminados pela Palavra de Cristo. Precisamos de invocá-lo e preparar o coração para que Ele possa descer até nós. Vem, Senhor Jesus! Vem converter o nosso coração, vem eliminar a nossa superficialidade, para que o mundo à nossa volta seja um mundo melhor.

 

Darci Vilarinho

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish