EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

Liturgia do 5º Domingo da Páscoa – Ano C

(Publicado em: 11/05/2022)

15 de maio 2022
At 14, 21-27; Ap 21, 1-5; Jo 13, 31-35

 

O nosso distintivo
1. “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei. Nisto conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”.
É este o sinal diferencial da nova comunidade. Da nossa comunidade cristã. Não temos outro distintivo. Amar é a nossa missão. Deus é amor, e o homem também. É no amor que mais se dá a nossa semelhança com Deus. Amar os outros como Cristo nos amou: é a grande novidade que Ele nos deixou. É a grande mola que transforma o mundo. Amar à maneira de Cristo. Ele amou-nos encarnando, perdoando, morrendo. Assim nós. Para que o mundo creia. Não há outra maneira de ser Igreja. Não há outra maneira de ser discípulo de Jesus. Não há outra maneira de ser missionário. Não há outra maneira de renovar o mundo.

 

2. É um exame de consciência que devemos fazer perante esta Palavra do Evangelho. “Amai-vos como Eu vos amei”. Eu amo? A quem é que eu amo? Como é que eu amo? Sinto-me amado? Posso dizer que o meu amor é gratuito?
O testemunho passa pela vida. O nosso amor será como o do nosso Mestre, se for até ao fim, se for vivido todos os dias na gratuidade de quem sabe dar a vida. É um amor que dá sempre o primeiro passo, que nunca se cansa, que recomeça a todos os momentos, que ama a todos indistintamente. Um amor que é Pessoa, porque é Pai. Um amor que se torna visível e palpável em Jesus Cristo que deu tudo por nós. Um amor que é iluminação contínua e é uma força no Espírito santificador.

 

3. Se amares, pouco a pouco acabarás por te assemelhar a Ele, porque o amor que Ele te dá transformará o teu coração e o fará semelhante ao Seu: um coração que transvaza de amor. É como se metesses continuamente, sem parar, água num recipiente. Enquanto estiver vazio, a água caberá dentro. Mas quando o recipiente estiver cheio, se continuares a deitar água, esta cai ao chão e perde-se. Mas se ao lado colocares outro recipiente vazio, a água que transvaza de ti enchê-lo-á. Se tens um coração cheio de amor de Deus, a um certo ponto tens que o dar, se não arrebentas. Se amas verdadeiramente, o amor que vem da fonte inesgotável que é Deus, encherá o coração dos outros. É essa a nossa missão: Transvazar nos outros o amor que nos vem de Deus. “Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei”.

 

4. Estamos a meio do mês de maio, o mês da Mãe de Jesus: podemos inspirar-nos nela, porque o seu coração imaculado de Maria foi aquele que mais se assemelhou ao coração do seu Filho. Imitá-la nos pequenos gestos de amor de todos os dias é o melhor presente que lhe podemos oferecer, sabendo que o amor de uma mãe é aquele que mais se aproxima do amor de Cristo e do amor da sua Mãe.

 

Darci Vilarinho

Deixe a sua opinião

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.