EnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish

Faleceu o irmão Afonso

(Publicado em: 29/03/2022)

Missionário da Consolata, o irmão José Afonso (1936-2022) foi missionário em Moçambique e em Portugal. Faleceu esta terça-feira, 29 de março de 2022

 

Os Missionários da Consolata anunciam o falecimento do irmão José Nunes Afonso, aos 85 anos de idade, após doença prolongada. O óbito ocorreu na manhã desta terça-feira, 29 de março de 2022, no Hospital de Santo André, em Leiria.

O corpo do irmão Afonso vai estar em câmara ardente a partir das 11h00 desta quinta-feira, dia 31, na capela pública do antigo Seminário da Consolata, em Fátima. Segue-se a Missa Exequial, pelas 15 horas. O cortejo fúnebre segue depois para o cemitério de Fátima, onde será sepultado.

 

Breves notas sobre vida e obra 

O irmão Afonso nasceu no dia 20 de dezembro de 1936, na aldeia de Rebolosa, Sabugal. Tinha 85 anos, dos quais 65 de profissão religiosa como missionário da Consolata. Entrou no Instituto da Consolata no dia 18 de outubro de 1951. Fez a primeira profissão religiosa a 2 de outubro de 1956 e a profissão perpétua a 2 de outubro de 1959. Foi destinado às missões de Moçambique onde chegou no dia 31 de novembro de 1959, mais especificamente à Missão do Niassa. Trabalhou depois na Missão de Cóbue e na Missão de Mepanhira. Em 13 de fevereiro de 1967 foi destinado para a Diocese de Inhambane e colocado na Missão de Nova Mambone . A maior parte do tempo de missão em Moçambique foi vivido precisamente nesta Missão de Nova Mambone (1967-1970), ocupando-se da direção das Salinas, uma grande empresa do Instituto em Moçambique, iniciada pelo padre Amadeo Marchiol. No dia 6 de maio de 1971 foi transferido para a Missão de Funhalouro (1971-1972) e em 23 de agosto de 1972 para a Missão de Nova Mambone, onde permaneceu até 1973, ano em que regressou a Portugal, mais exatamente no dia 17 de dezembro de 1973. Permaneceu em Portugal até ao dia do seu falecimento, trabalhando sobretudo em Fátima numa oficina de objetos religiosos. Ali, fazia também peças e objetos de carpintaria. Num silêncio operante, como o carpinteiro de Nazaré, fez muitos milhares de imagens de Nossa Senhora de Fátima e muitos outros objetos religiosos, hoje presentes nos altares de muitas igrejas e missões e levados também para todo o mundo pelos missionários e peregrinos de Fátima.

 

– Dai-lhe, Senhor, o eterno descanso. Entre os esplendores da luz perpétua. Descanse em paz. Ámen