Bairro do Zambujal quer construir uma nova igreja
07/05/2018
A festa deste ano no Bairro do Zambujal (Amadora) ficou marcada pelo desejo partilhado por parte da comunidade de construir ali uma nova igreja. Neste bairro trabalham os missionários e as missionárias da Consolata

Decorreu neste domingo, 6 de maio, a já tradicional festa do Bairro do Zambujal (Alfragide, Amadora), em honra de São José Operário, que é padroeiro do bairro e, de modo particular, da comunidade católica do Centro Consolação e Vida (CCV).

O programa da festa não diferiu do dos anos anteriores, a saber: procissão pelas ruas do bairro, até chegar à rua Mães D’Água, onde teve lugar a Eucaristia campal. Seguiu-se um almoço oferecido a todos pela comunidade, onde não faltou a famosa cachupa. A parte da tarde ficou reservada para a animação de rua, sobretudo com muita música e dança, valorizando os talentos das gentes deste bairro social às portas de Lisboa.  

O padre Bernard Obiero, missionário da Consolata queniano, foi o convidado deste ano para presidir à Eucaristia da festa. Na homilia disse que Deus, e o seu amor, é para todos, sem exceção: «Deus não escolheu uma tribo, um bairro, uma cidade, uma nação, é um Deus de todos?».

Bernard Obiero, que faz parte da equipa formativa do seminário da Consolata no Cacém e é também coordenador nacional dos Leigos Missionários da Consolata (LMC) e do Voluntariado Missionário (VM), manifestou reconhecimento a agradecimento pelo acolhimento e testemunho de vida que recebeu desta comunidade, onde esteve por três anos (2013 a 2015). Ali, disse, aprendeu «a fazer missão» com todos, especialmente «com os jovens, a COMUZA, a Associação CAZA» e ainda provocou sonoras gargalhadas na comunidade celebrativa ao referir que esteve ali no Bairro «um ano como seminarista, um ano como diácono e um ano como padre», explicou, para logo acrescentar: «se tivesse ficado mais um ano» seria, já, «como bispo», brincou.

Uma nova igreja
Tanto na procissão, que foi animada pelo padre José Matias, assim como na celebração da eucaristia foi referido mais de uma vez o desejo por parte da comunidade de construir uma Igreja, uma vez que a capela atual da comunidade, que está inserida na estrutura do Centro Consolação e Vida, tornou-se pequena. O tema da festa deste ano – “São José, acolhei nossa esperança” - corporiza esse sonho. Entretanto, existe já um local, o projeto e o compromisso para que isso se concretize. Para o conseguir, nos próximos tempos irão ser realizadas campanhas de angariação de fundos.

No final da Eucaristia da festa, fez-se uma homenagem às mães pelo seu dia, e entregaram-se os diplomas a alguns jovens da comunidade ali presentes, de um total de 17 de que no dia anterior tinha recebido o sacramento do Crisma na paróquia da Buraca.

Além do padre Bernard, já referido, estiveram presentes na festa padres, irmãos, irmãs e seminaristas das comunidades que estes dois ramos da Consolata têm na região de Lisboa. De salientar ainda a presença de Carla Tavares, presidente da Câmara Municipal da Amadora, além de um vereador do mesmo município

Albino Brás