Faleceu o padre Artur Marques
01/07/2018
Missionário da Consolata, de 81 anos, não resistiu aos ferimentos sofridos num acidente de viação, em Moçambique. Faleceu no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, este sábado, 30 de junho

O padre Artur Marques estava internado no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, para onde fora transferido depois de ter sofrido um acidente de viação em Moçambique que lhe provocou um traumatismo craniano e, depois, o coma. O acidente ocorreu no dia 22 de janeiro, próximo de Quissico, província de Inhambane. Acompanhava-o o padre André Brevi, que também ficou ferido, mas sem gravidade. Recebeu os primeiros cuidados no hospital de Inhambane e foi depois transferido para o Hospital Central de Maputo. Em estado delicado, foi repatriado para Portugal onde chegou com acompanhamento médico no passado dia 8 de março e no dia 30 do mesmo mês, Sexta-Feira Santa, dia do seu 55º aniversário de sacerdócio, saiu do coma. Ali continuou internado e recuperava lentamente, mas de forma progressiva, das sequelas deixadas pelo acidente.

O padre Artur Marques nasceu na Caranguejeira, concelho de Leiria, Portugal, no dia 10 de outubro de 1936. Ingressou no Instituto Missionários da Consolata (IMC) a 18 de outubro de 1948, onde fez a primeira profissão a 2 de outubro de 1957. Foi ordenado padre no dia 30 de março de 1963.

A maior parte da sua vida foi gasta nas missões, em Moçambique. Foram mais de 50 anos os que viveu naquele país africano. Em Portugal, seu país natal, foi professor e formador por dois anos apenas, em Vila Nova de Poiares, logo após a sua ordenação sacerdotal.

Chegou a Moçambique a 16 de outubro de 1965 e ali repartiu o seu labor evangelizador e missionário por muitas áreas e lugares, como pároco, formador e até como responsável pela Salina de Batanhe, explorada pelo Instituto Missionário da Consolata. Inhambane, Nampula, Mambone e Maputo, foram algumas das missões onde trabalhou. Foi Superior Regional de Moçambique por dois mandatos consecutivos, entre 2002 e 2008, e depois superior da casa regional do IMC em Maputo (2008-2010). Os últimos anos foram dedicados à paróquia de Nova Mambone, diocese de Inhambane, onde estava desde 2010.

Em 2014 esteve em Portugal, em ano sabático, e dedicou um período desse tempo (de 26 janeiro a 4 de agosto) à comunidade do Bairro do Zambujal, na Amadora, onde deixou muito boas recordações.

Faleceu aos 81 anos, dos quais 60 de profissão religiosa e 55 de sacerdócio.

Ao tomar conhecimento do falecimento do padre Artur, o superior provincial do IMC em Portugal, padre Eugénio Butti, enviou uma mensagem a todos os membros da Região, de onde destacamos esta nota: «O padre Artur terminou o seu longo calvário e com certeza agora goza da presença do Senhor que ele amou e anunciou. Elevemos a Deus as nossas preces de sufrágio e peçamos a graça do conforto por todos os seus familiares que tanto o amaram e que vinham visita-lo a Lisboa, quase diariamente, vindos de Leiria. Um belíssimo exemplo de família unida! Unimo-nos espiritualmente também aos missionários da Região de Moçambique e particularmente à comunidade de Nova Mambone que hoje choram pela morte do seu pastor.»

 

Funeral do padre Artur Marques

A Missa de corpo presente do padre Artur Marques será amanhã, terça-feira, 3 de julho, às 16h00, na Capela de Souto de Cima, freguesia da Caranguejeira, concelho de Leiria.
 
O corpo do padre Artur Marques será trasladado durante a manhã desta terça-feira desde o Hospital de Santa Maria, em Lisboa, onde faleceu no passado sábado, aos 81 anos, para a capela da comunidade de Souto de Cima, sua terra natal. Prevê-se que chegue ali até ao final da manhã. Ficará em câmara ardente até ao inicio da Missa de corpo presente, marcada para as 16h00. Segue-se o funeral, com tumulação no cemitério local.
Aos sacerdotes e diáconos informa-se que deverão levar alba e estola (de cor roxa).

Coordenadas geográficas (GPS) para chegar à capela do Souto de Cima: N 39º44'32''  W 8º43'23''

Albino Brás