Exposição assinala 75 anos da Consolata em Portugal
14/02/2019
«Consolata - 75 Anos em Portugal» é o titulo da exposição temporária que vai ser inaugurada no dia 16 de fevereiro, durante a Peregrinação da Família Consolata a Fátima

A 29ª Peregrinação da Família Consolata a Fátima (16 de fevereiro) tem este ano um motivo extra de interesse: a inauguração, nesse mesmo dia, no Consolata Museu | Arte Sacra e Etnologia, em Fátima, da exposição temporária «Consolata - 75 Anos em Portugal». Um evento que coincide também com o dia do Beato Allamano, e insere-se na programção dss celebrações jubilares dos 75 anos da fundação da Consolata em Portugal.

Em nota, o diretor deste museu, Gonçalo Cardoso, explica que esta iniciativa procura “dar a conhecer alguns dos principais momentos da presença dos Missionários da Consolata em Portugal, dando ênfase ao fundador do instituto no nosso país, o padre João De Marchi (1914-2003) como educador, formador, fundador e valoroso missionário da Mensagem de Fátima no país e no mundo”.

A mostra expõe fotografias inéditas do arquivo fotográfico da revista Fátima Missionária, bem como objetos ligados à história e memórias do Seminário de Nossa Senhora de Fátima, o primeiro a ser edificado na Cova da Iria, inaugurado em 1950, hoje conhecido como Seminário da Consolata.

A exposição conta com a colaboração do CEHR - Centro de Estudos de História Religiosa da Universidade Católica Portuguesa de Lisboa, através da investigadora Margarida Rézio, com pós-doutoramento em História Religiosa, debruçando-se pelo estudo comparativo da fisionomia espiritual do padre João De Marchi e do Venerável Cónego Manuel Nunes Formigão, fundador da Congregação das Irmãs Reparadoras da Nossa Senhora de Fátima.

Fruto deste estudo sobre a ligação cooperativa institucional e da enorme devoção mariana que ambos os sacerdotes nutriam por Nossa Senhora, a exposição apresenta também algumas relíquias do Venerável Cónego Manuel Nunes Formigão, o “Apóstolo de Fátima” e primeiro investigador (1917) dos acontecimentos da Cova da Iria.

A exposição vai estar patente ao público até ao dia 26 de maio deste ano e pode ser visitada de terça-feira a domingo nos seguintes horários:10h00-13h00 | 14h00-17h00 (fevereiro e março); 10h00-13h00 | 14h00-18h00 (abril e maio).

 

Cartaz da exposição temporária