ES.PE.RE: Uma rede que se expande
10/11/2017
Coordenador nacional das ES.PE.RE dá testemunho da sua participação no V Encontro Internacional desta Rede, que decorreu em Santo Domingo

Recentemente participei no V Encontro da Rede Internacional de aliados para a Cultura Política de Perdão e Reconciliação, que engloba as ES.PE.RE. Não fui só. Comigo foram quatro integrantes das ES.PE.RE em Portugal: Beatriz Barros, Ir. Maria Manoel, Viviana Nunes e Rui Sousa.

Este evento decorreu entre os dias 12 a 15 de outubro na Casa Arquidiocesana Maria de la Altagracia, em Santo Domingo, República Dominicana, e contou com a participação de 266 pessoas (voluntários da Rede ESPERE), vindas de 19 dos 21 países que atualmente fazem parte desta Rede Internacional.

Uma Rede que cresce
Este encontro internacional, que se repete a cada três anos, constituiu um momento privilegiado de informação, formação, partilha de experiências, medir o pulso do caminho que cada país está a fazer, esclarecer dúvidas e avançar no conhecimento e na fundamentação sobre este importante projeto de transformação pessoal e social. Para tal, muito serviram os contributos dos especialistas internacionais vindos de vários países, como foi o caso de Elías Lopez, da Espanha, e Robin Casarjan, dos EUA, que deliciaram os presentes com as suas conferências, com reflexões e debates inspirados no tema geral do encontro: «Desativando a Violência. Promovendo Inteligências Coletivas para a Paz».

Diferentes países, contextos diversos
Os membros desta rede internacional desenvolvem e implementam nos seus países a metodologia das ES.PE.RE. Cada um dos 19 países tem particularidades que mais que justificam a implementação desta metodologia em diversos contextos e circunstâncias. Este é também o entendimento de David Hernandez, da Fundación para la Reconciliación, que resume os impactos do projeto em alguns países que fazem parte desta Rede. Alguns exemplos.

A Colômbia fez e continua a fazer um trabalho de grande impacto social cuja principal bandeira está na mediação e resolução de conflitos entre as FARC e o governo, contribuindo para a consolidação do Processo de Paz – num Acordo recentemente assinado, e depois selado com a visita do Papa Francisco àquele país andino –, e na reinserção de milhares de ex-combatentes na sociedade. O Brasil especializa-se em politicas públicas de Justiça Restaurativa e na Pastoral Penitenciária. A Argentina tem feito um grande trabalho no âmbito escolar, mas, sobretudo, um esforço tanto meritório quanto difícil junto das mães da ‘Plaza de Mayo’, que tem muita dificuldade em acreditar no Perdão. Na Guatemala destaca-se o trabalho junto dos indígenas, vitimas do conflito dos anos 90. O núcleo ESPERE no México trabalha essencialmente com vítimas do narcotráfico. Já no Haiti, numa sociedade desestruturada, procura-se combater a violência institucionalizada (ver artigo sobre Francis Faroukini que escrevi para página 12 da revista FÁTIMA MISSIONÁRIA de novembro 2017).

Como vemos, as problemáticas trabalhadas nas ESPERE são muito relevantes em certos contextos, e mostram que é possível avançar para uma notória mudança.

Declaração de Santo Domingo
Tive a ideia de fazer um manifesto, ou comunicado, que resumisse os valores e as diretrizes e conclusões que animaram o encontro e nos fazem levar para a frente aquilo em que acreditamos. Propus à organização, esta aprovou, e foi assim que saiu à luz a Declaração de Santo Domingo (ver texto AQUI), lida no final do encontro e divulgada para os Media dos países presentes.
A Rede Internacional ES.PE.RE celebra este ano o seu 10º aniversário e a data foi entusiasticamente assinalada com bolo e brinde neste V encontro internacional, com todos os participantes presentes. Paula Monroy, diretora executiva da Fundação para a Reconciliação sublinhou que toca, agora, «fortalecer a fazer crescer este Rede de voluntários».

Portugal, pioneiro na Europa
As ES.PE.RE foram fundadas em 2003, em Bogotá, Colômbia, pelo padre Leonel Narvaez, missionário da Consolata. Portugal foi o primeiro país da Europa a acolher o projeto, em 2013, por minha iniciativa, atual coordenador nacional, e contando com o apoio deste Instituto missionário ao qual pertenço. Aquele ano marcou o início da caminhada ESPERE no nosso país com o primeiro de sete cursos já realizados até ao momento. Ao curso na Quinta do Castelo, no Cacém, seguiu-se Lisboa (2 cursos), Águas Santas (2) e Algueirão. Neste momento decorre um Curso no Barreiro (3 a 5; 18 e 19 de novembro) e há outro em vista para a paróquia de São Mamede (no Rato, Lisboa). Já o núcleo do Porto tem um programado para os dias 8 a 10 de dezembro.

Até ao momento mais de 70 pessoas fizeram os Cursos ESPERE e temos uma equipa nacional composta por 11 facilitadores ou formadores.
Rede ES.PE.RE. Uma rede internacional em franco crescimento, com a promessa de se expandir também para a vizinha Espanha – que já pediu a colaboração a Portugal.

Albino Brás