Começa em Roma curso de formação para missionários da Consolata
27/01/2020
Roma acolhe, entre 25 e janeiro e 29 de fevereiro, 26 missionários da Consolata, por ocasião dos 25 anos da sua ordenação ou profissão perpétua, para um curso de formação continua

Com um momento de oração, teve início no sábado, 25 de janeiro, Solenidade da conversão do Apóstolo Paulo, o curso de Formação Continua dos missionários da Consolata que, durante o sexénio 2017-2023, celebram 25 anos de ordenação sacerdotal, ou de profissão perpétua, no caso dos irmãos.

O curso decorre na Casa Geral dos Missionários da Consolata, em Roma, e prevê uma visita aos locais carismáticos de Castelnuovo Dom Bosco, onde nasceu o fundador, o Beato José Allamano, assim como a Turim, onde este instituto missionário foi fundado, em 1901. Um tempo de retiro terá lugar também em Assis.
O momento de oração foi preparado pelo padre Efrem Baldaso, missionário da Consolata que, junto com os padres Antonio Rovelli, James Lengarin, Dietrich Pendawazima e Lino Tagliani, fazem parte da equipe de coordenação.
O padre James Lengarin, vice-superior geral, dirigiu palavras de boas-vindas aos participantes e, depois, na celebração da Eucaristia, lembrou que este momento “de merecida pausa” não pretende ser um curso acadêmico, mas propõe-se ser uma “forte experiência de fraternidade e oração”, incentivando à reflexão e à partilha entre todos. No decorrer deste curso haverá lugar também para intervenção de vários convidados, com o objetivo de ajudar os cursistas, através de temáticas relevantes para o crescimento pessoal, para a vida religiosa e missão.
O padre Giovanni Treglia, superior da Região Europa, de passagem por Roma, dirigiu também uma palavra de boas-vindas aos missionários e informou que a recém-criada Região Europa começa a dar os primeiros passos numa realidade missionária complexa.

REVITALIZAÇAO DO INSTITUTO
Nas palavras de apresentação do curso, o padre Antonio Rovelli, Conselheiro Geral, lembrou o tema central deste encontro, que evoca as palavras de Jesus: "Eu sou a videira, vós sois os ramos ... sem mim nada podeis fazer!" ( Jo 15, 5) e o convite lançado pelo XIII Capítulo Geral, celebrado em 2017, para que os missionários da Consolata façam um caminho de revitalização, sem esquecer as características que os definem como tal:
O coração da revitalização está na renovação humana e espiritual de todo missionário. A revitalização do Instituto não pode ser alcançada se, na sua base, não existir o esforço para mudar as coisas a partir de dentro. A revitalização nos transforma em missionários entusiasmados em evangelizar aqueles que ainda não conhecem a Cristo e O testemunham com a santidade de vida. Essa poderá ser posta em prática somente por um missionário que:
a) sente profundamente a urgência de se mudar a si mesmo para poder mudar a  comunidades e, consequentemente, o Instituto, a fim de recuperar a fidelidade ao carisma, o amor e a qualificação da missão Ad Gentes, a profunda consciência de ser consagrado para uma missão generosa e de qualidade;
b) coloca Jesus Cristo em primeiro lugar, a sua Palavra ouvida e vivida, fazendo do Evangelho o livro de sua própria vida (cf. ‘Quero-vos assim’, n. 174) para ser testemunha autêntica;
c) estar disponível para responder à vocação como um compromisso para toda a vida, não como adesão a uma experiência temporária, porque apenas uma escolha "para sempre" lhe permite encarnar e tornar-se um com os povos a quem é enviado;
d) escolhe fronteiras e está disposto a ir aos lugares mais difíceis;
e) considera fundamental estudar e aprofundar a dimensão cultural, o que lhe permite colocar o conhecimento a serviço da missão, de maneira inesquecível, como o Fundador nos ensinou.
Essas são características que, para nós, em qualquer circunstância e a qualquer momento, são e continuam sendo pilares incontestáveis de sermos missionários da Consolata. (XIII CG, 8)

26 PARTICIPANTES DE TRÊS CONTINENTES
O primeiro dia do curso, sendo a solenidade da conversão do grande missionário Paulo, e o último dia da semana de oração pela unidade dos cristãos, o grupo de cursistas uniu-se ao Santo Padre para a oração das Vésperas, na basílica de São Paolo fora dos Muros. Na homilia, o Papa Francisco apresentou uma verdade essencial e muito cara aos missionários, e que deve ser sempre lembrada: "A prioridade de Deus é a salvação de todos". O pontífice reiterou também que este "é um convite a não nos dedicarmos exclusivamente às nossas comunidades, mas para nos abrirmos ao bem de todos, ao olhar universal de Deus, que se encarnou para abraçar todo o género humano e que morreu e ressuscitou para a salvação de todos".
Participam neste curso 26 missionários (24 padres e 2 irmãos) que atualmente realizam atividades pastorais e missionárias na África (Quênia, Moçambique, República Democrática do Congo, Costa do Marfim, Uganda), América (Argentina, Colômbia) e Europa (Itália, Portugal e Espanha).

Pedro Louro

fotografia do grupo em formação