“No curso ESPERE encontrei metodologias nunca antes experimentadas por mim”
21/01/2020
Maioria dos participantes que se inscreveram no último curso ESPERE, realizado este mês de janeiro no Cacém, trabalham com migrantes e refugiados em situação de vulnerabilidade

“Este curso superou completamente as minhas expectativas”, é um sentimento partilhado nas avaliações por vários participante no curso das Escolas de Perdão e Reconciliação – ESPERE, que decorreu este mês de janeiro, na Consolata, no Cacém.

No geral, destacam os temas abordados, as metodologias, a reflexão e partilha e, sobretudo, as dinâmicas usadas. “O Curso foi muito dinâmico, interativo, com recurso a metodologias nunca antes experimentadas por mim”, diz Filipa Couto, uma das participantes.

“De uma forma geral a formação está bem executada, todo o material e dinâmicas foram interessantes e explicadas de forma clara”, assinala outro dos inscr no cursoitos.

A satisfação leva mesmo o coordenador da equipa técnica de voluntários do Serviço Jesuíta aos Refugiados (JRS) a pedir mais: “Existe alguma forma mais estruturada de aprofundar este tema? Um segundo nível?”. Um desejo partilhado também por outras pessoas.

Trabalho com migrantes e refugiados
Quase a totalidade dos participantes neste curso (15, de um total de 17) são coordenadores e voluntários técnicos do Serviço Jesuíta aos Refugiados, uma organização internacional da Igreja Católica, sob responsabilidade da Companhia de Jesus, e que tem como missão «Acompanhar, Servir e Defender» os refugiados, deslocados à força e todos os migrantes em situação de particular vulnerabilidade. Concretamente, havia participantes da Equipa JRS Portugal, membros da equipa do Gabinete Social, Equipa do Centro Pedro Arrupe (Centro de Migrantes), Equipa CATR - Centro de Acolhimento de Refugiados, e Equipas das Casas de Refugiados.

Disponibilidade e compromisso
Este curso decorreu no Centro Missionário Padre Paulino, dos Missionários da Consolata, no Cacém (Sintra), durante quatro dias (3, 4, 9 e 17 de janeiro). Contou com a presença de 17 inscritos e três facilitadores da equipa ESPERE: Albino Brás (coordenador nacional), Carlos Giraldo e Marta Sá Rebelo.
No final, os participantes comprometem-se a levar a proposta ESPERE para o seu dia-a-dia, especialmente nos vários ambientes em que se movem. Alguns manifestaram mesmo disponibilidade para poderem vir integrar a equipa regional.

As ESPERE
As Escolas de Perdão e Reconciliação - ESPERE, não são espaços físicos. São uma ação de transformação pessoal, grupal, comunitária e social que, através de uma metodologia inovadora e um processo pedagógico bem estruturado, incide em grupos de 15 a 20 pessoas que se reúnem periodicamente, em cursos de forma intensiva ou estendida no tempo. Nestes cursos, trabalha-se o Perdão e a Reconciliação, em 11 módulos, e procura-se aprender a administrar as emoções, como a raiva, o ódio, o ressentimento e os desejos de vingança, gerando novas narrativas que permitem superar a memória ingrata do seu passado, reconstruindo a confiança e promovendo a paz e a cidadania.

As ESPERE foram fundadas em 2003, em Bogotá, Colômbia, pelo padre Leonel Narvaez, missionário da Consolata. Portugal foi o primeiro país da Europa a acolher o projeto, em 2013, por iniciativa dos Missionários da Consolata. Aquele ano marcou o início da caminhada ESPERE no nosso país com o primeiro de vários cursos já realizados até ao momento, tanto na região de Lisboa, como a norte, na região do Porto, onde funciona também um núcleo das ESPERE.

Albino Brás